Meu perfil
BRASIL, Nordeste, RECIFE, CORDEIRO, Homem, de 46 a 55 anos, Portuguese, Esportes, Automóveis
Outro - (81) 99757866




Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis
 Diário de um futuro ultramaratonista
 Meu sport.com
 correndo na chuva




Papaléguas
 


No domingo (01/02/2009) fiz uma caminhada de 10,510 km; dia 02/02 caminhei 7,410 km; dia 03/02 10,200 km, todas estas caminhadas foram realizadas nas proximidades da minha residência na companhia da minha esposa Lúcia que está tomando gosto pela caminhada.

Quarta feira (04/02) foi dia de correr com o pessoal da ACORJA nas matas de Brennand, e às 5 e 30 da manhã saímos para um trote de 12,760 km no meio da mata com o solo um pouco encharcado, foi uma delícia !

Eu e o meu irmão maratonista (Júlio) fizemos um percurso alternativo, passando sobre uma ponte da Rede Ferroviária em plena mata (uma visão deslumbrante) e fomos sair no TIP, onde compramos água mineral e prosseguimos a nossa jornada e nos encontramos com o restante do pessoal no ponto de partida (e de chegada) aonde deixamos os nossos carros, para o famosa desjejum acorjiano, com direito à muita água, suco, melancia e banana.

Hoje eu fiz 18,585 km sendo 9 km no trote (numa velocidade média de 10,14 km/hora com média de 5,35 min/km) e 9,585 km em caminhada (numa velocidade média de 6,3 km/hora com média de 9,61 min/km). O treinamento foi feito no Parque da Jaqueira.

SETILHAS DO PAPALÉGUAS :

Como de costume, faço sempre uma setilha nos meus comentários rimados no blog do Futuro Ultramaratonista, do meu irmão Júlio (Julinho como é, carinhosamente, chamado pelos irmãos e conterrâneos, já que o nosso pai se chamava Júlio).

No dia 01/02, comentando o fato dele ter saído correndo pelas ruas do Recife no sábado (31/01), enquanto o SPORT jogava, e ter passado nas proximidades da Ilha do Retiro em direção à praia de Boa Viagem, fiz o seguinte comentário : Você quis ficar em casa / O vício falou mais forte / Partiu para a zona sul / Saindo da zona norte / Mas estou desconfiado / Que o percurso foi traçado / Só prá passar pelo SPORT !

No dia 01/02 Júlio saiu, em pedalada inaugural, para um trajeto na BR 232 com os amigos acorjianos Paulo Sobral, Ricardo Magalhães e Maurício, como demonstrou interesse de comprar uma bicicleta para fazer parte da sua rotina de treinos eu fiz o seguinte comentário : Para ajudar na corrida / E a festa ficar completa / Vá preparando o seu bolso / Compre a sua bicicleta / E, com certeza, depois / Você praticando os dois / Se torna um super atleta.

No dia 03/02 (terça feira) foi o dia de Júlio fazer as vezes de treinador e incentivador dos familiares iniciantes em corridas (seus filhos Léo e Henrique, nossas sobrinhas Adriana e Isabel Helena, nossa prima Luciana e duas amigas), o grupo começou pequeno mas vem crescendo a cada treino (terça à noite no Parque da Jaqueira). Qualquer dia desses passo lá para dar uma forcinha. Comentei assim : A turma da terça feira / Eu vejo que já promete / Porque ninguém falta a um treino / Nem que chova canivete / Começou com dois ou três / Depois aumentou prá seis / E hoje eu já contei sete !!!

Quarta feira (04/02) foi dia de correr, com a turma da ACORJA, nas matas de Brennand, percurso lindíssimo, com muito verde e muito ar puro, natureza que o homem teima em querer destruir. Júlio, no seu blog, colocou como pensamento do dia uma frase de Vítor Hugo, dedicando a mesma a mim (5,5) e ao presidente Lula 5,4), em tempo : presidente da ACORJA, pois o outro só merece homenagem dos participantes do bolsa esmola ! Mas vamos à frase : 40 anos é a velhice dos jovens; 50 anos é a juventude dos velhos ! E eu comentei :  Nós passamos dos 50 / Já vai longe a juventude / E só nos resta agora / Tomar esta atitude / Para ficar firme e forte / Correr, praticar esporte / Prá manter nossa saúde.

Atendendo a um "mote" do Dr. João Veiga, meu conterrâneo, meu ídolo e meu amigo. 

"TOME, PROVE, BEBA, ENGULA / DESARRÓIE, DESTAMPE E TAPE !   Fiz o seguinte verso, falando sobre uma cachaça fabricada em Tabira PE.( minha terra natal) e que é muito forte.

CANA É MADEIRA DO NORTE / PRÁ QUEM AGUENTA BEBER / MAS É BOM NÃO SE EXCEDER / E NEM ABUSAR DA SORTE / POIS ELA PEGA MAIS FORTE / QUE PANCADA DE TACAPE / TALVEZ VOCÊ NEM ESCAPE / MAS SE QUER MATAR A GULA / TOME, PROVE, BEBA, ENGULA / DESARRÓIE, DESTAMPE E TAPE.

FALA POETA !

Hoje o poeta homenageado é o saudoso José Liberal (Zé da Loja), nascido no distrito de Jabitacá, no município de Iguaraci, em 12/10/1953 e falecido em 24/08/2002. Era nosso amigo e sogro da minha irmã Mariana que é casada com Diego, seu filho. É uma homenagem super modesta mas é feita de coração.

Zé Justo (pai do poeta Pedro Alcântara) era dono de um fusca que, segundo as más línguas, tinha peças não originais e Vicente Sulino deu o seguinte mote : "ESSE CARRO DE ZÉ JUSTO / TEM PEÇA DE TODA MARCA.

ESSE CARRO MUITO LORDE / TEM ARO DE BICICLETA / CHASSI DE MOTOCICLETA / E O MOTOR GM E FORD / VENTULINA DE UM CONCORD / COMPRADO NA DINAMARCA / OS PNEUS SÃO DE UMA BARCA / MONTADOS POR MESTRE AUGUSTO / ESSE CARRO DE ZÉ JUSTO / TEM PEÇA DE TODA MARCA

A SUA COR É VERMELHA / A MARCA DO MESMO É FUSCA / FOI FEITA NELE UMA BUSCA / TINHA "ARRANCHADO" UMA ABELHA / TINHA ATÉ CACO DE TELHA / MAS ZÉ, QUANDO NELE EMBARCA / PARECE MAIS UM MONARCA / ROSADO, NOVO E ROBUSTO / MAS O CARRO DE ZÉ JUSTO / TEM PEÇA DE TODA MARCA.

ESTÓRIAS DO MEU SERTÃO :

OUTRA DO MEU AVÔ MATERNO (CÍCERO DAMASCENO BASTOS):

Certa vez chegou um amigo à sua residência, com o intuito de convidá-lo a apadrinhar o seu terceiro filho, com a alegação de que o primeiro e o segundo tinham como padrinhos familiares próximos, e que desta feita ele queria para padrinho do filho caçula, alguém que não tivesse nenhum laço de parentesco com a criança. Corria à boca miúda pela cidade que o sujeito em pauta tinha uma esposa não muito fiel, e que havia dúvidas até da paternidade da referida criança. O meu avô, sempre muito satírico, assim falou : Olha, o mais indicado é você mesmo, e depois para amenizar a afirmativa disfarçou falando que era muita responsabilidade e que ninguém seria melhor padrinho que o próprio pai.

  

 



Escrito por cleniocordeiro às 00h25
[] [envie esta mensagem
] []





Quinta feira (29/01/2009) foi o dia do "corujão da ACORJA", que partiu do Parque da Jaqueira às  20:00 hs em direção à Olinda (quartel da PE) retornando ao local de partida, num total de 24,5 km. A informação que eu tive era que seriam 20 km e eu fui preparado para tal, lá chegando vi que o percurso era maior do que eu esperava, mas enfrentei o desafio e consegui chegar ao final, incentivado pelos corredores mais experientes, com destaque para o meu irmão Júlio que já é um maratonista e que me deu a maior força.

Éramos cerca de 30 corredores e 5 ciclistas (dentre os 5 estavam a minha esposa e a minha cunhada Christiane). Fiquei com as pernas um pouco doloridas mas a satisfação foi grande de poder concluir o percurso, foi uma vitória pessoal pois o meu nível atual é muito inferior ao dos companheiros acorjianos, mas com muita determinação e muita garra consegui cruzar uma imaginária linha de chegada da minha corrida particular.

Na sexta feira (30/01/2009) foi dia de recompor as energias e curtir as dores nos membros inferiores, parecia até que eu tinha levado umas porradas !!!

No sábado à noite fiz uma caminhada leve com minha esposa (6,05 km em 1 h e 5 min) para desenferrujar os meus doloridos membros.

Setilhas do PAPALÉGUAS :

Fui correr 20 quilômetros / Porém fui ludibriado / Pois com o percurso maior / Do que fora combinado / Me vi em palpos de aranha / Tive uma estafa tamanha / Que ainda tou todo quebrado !!!

Em 20/12/2008 meu irmão Júlio participou de uma ultramaratona de revezamento, de Caruaru para a Jaqueira (140 km), sendo cada equipe composta de 5 corredores que fariam 28 km cada, o primeiro da equipe foi Júlio, que fez um bom tempo mas, mesmo assim, foi o último a concluir o primeiro trecho e, em alusão ao fato eu brinquei com ele lhe dedicando estes versos:

Para a ultramaratona / Foi preciso muita perna / A lembrança que ficou / Será com certeza eterna / Guardada no coração / A última colocação / E o troféu de lanterna.

FALA POETA :

Hoje o poeta convidado é o grande Lourival Batista, o Louro do Pajeú (Lourival  Batista Patriota, 06/01/1915 a 05/12/1992)

Certa vez cantando com um cantador conhecido como Laranjinha, este concluiu um verso assim : VOCÊ TÁ CANTANDO RUIM / QUE SÓ MULHER FALSA AO MARIDO, AO QUE ELE RESPONDEU :

SEU VERSO FOI SEM SENTIDO / A RIMA MAL COLOCADA / SÓ HOJE É QUE EU VIM DAR FÉ / QUE VOCÊ NÃO CANTA NADA / POIS MULHER FALSA NÃO CANTA / A MULHER FALSA É CANTADA.

Noutra oportunidade, cantando com o grande Rogaciano Leite, este começou a se queixar da sua própria cidade (Itapetim), ao que Louro fez o seguinte verso: NÃO MALTRATES TUA TERRA / ROGACIANO, SOSEGA / ELA É MÃE E TU ÉS FILHO / PACIÊNCIA MEU COLEGA / FILHO QUE FALA DA MÃE / MORRENDO O DIABO CARREGA. Rogaciano, outro lendário poeta, saiu-se com essa estupenda sextilha : DE FATO, CARO COLEGA / SUA RAZÃO NÃO SE SOME / O DIABO CARREGA O FILHO / QUE DA MÃE MANCHAR O NOME / MAS TAMBÉM CARREGA A MÃE / QUE MATA O FILHO DE FOME.

ESTÓRIAS DO MEU SERTÃO

Esse "causo" foi extraído do livro CARIRI E PAJEÚ do meu amigo Joselito Nunes.

Um cidadão de nome José Firmino Monteiro mas conhecido como Cazuza Firmino, mostra toda a presença de espírito e  a veia satírica, que parece ser uma marca dos sertanejos, neste episódio que agora relato:

Ele tinha acabado de se separar da mulher, com a qual viveu pouco tempo, e um camarada para tirar uma onda com ele perguntou : Cazuza, prá que tu deixaste uma mulher tão bonita ? Ao que ele sem mais delongas fuzilou : Prá não ser corno como tu !!!



Escrito por cleniocordeiro às 01h03
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]